Bergson

A noção de virtualidade em Bergson

Bergson elaborou sua filosofia e seus principais conceitos a partir de estudos específicos de temas bem delimitados, embora em cada um desses estudos ele levantasse um desses “grandes problemas” propriamente filosóficos. Analisando suas obras, no entanto, perceberemos a recorrência constante daquela que talvez seja a noção-chave de sua filosofia. Este estudo procura mostrar como a noção de virtualidade está implicada na teoria bergsoniana da memória, do tempo, da evolução, bem como em suas concepções relativas ao pensamento, à linguagem e à criação, e como ela exprime toda uma orientação característica, essencial, do pensamento de Bergson.

Bergson a élaboré sa philosophie et ses principaux concepts par des études spécifiques sur de thèmes bien délimités, bien que dans chacun de ces études il posait l’un de ces “grands problèmes” proprement philosophiques. Cependant, en analysant ses oeuvres, nous nous rendons compte de l’importance d’une notion qui est, peut-être, la notion clé de sa philosophie. La notion de virtualité est impliquée, en effet, dans la théorie bergsonienne de la mémoire, du temps, de l’évolution, aussi bien que dans leurs conceptions relatives à la pensée, au langage et à la création – et exprime toute une orientation caractéristique, essentiel, de la pensée de Bergson.

Dissertação de mestrado (em Filosofia) defendida em dezembro de 1996 na UFRJ.

download (PDF):

Francisco Fuchs – A noção de virtualidade em Bergson

Anúncios

4 Respostas to “Bergson”

  1. virgínia Says:

    È um privilégio poder reler-te, constantemente amigo e mestre Francisco,
    na tentativa de tangenciar teu aprendizado, lamento minha ignorância, sou uma aprendiz de aprendiz, com muita boa vontade…
    abraço de sempre grata, virgínia

  2. Tania Says:

    Obrigada pelo material!
    beijo

  3. Evolução e seleção natural | o ponto cinza de paul Says:

    […] me estender sobre esse tema. Mas não custa lembrar que eu já escrevi sobre ele, há 18 anos, em A noção de virtualidade em Bergson. Se estiver curioso, dê uma olhada, sobretudo na introdução e no quarto […]

  4. O Real e o Possível | o ponto cinza de paul Says:

    […] era para menos. Eu mesmo trabalhei em minha dissertação de mestrado a distinção (bergsoniana) entre o virtual e o possível. Assim, não poderia concordar com […]

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s


%d blogueiros gostam disto: